25 de agosto de 2008

Se acalma, estamos bem...


Sempre digo que mãe é tudo igual. A minha muuuuuito mais igual que as outras...rsrsrs...Mãe esmerada, que não mede esforços pelas filhas, por quem dedicou uma vida inteira.

Bom, todo mundo que trabalha muito, um dia se aposenta não é? Era o que ela dizia: "Não vejo a hora de vocês se casarem, terem suas casas, aí seu pai e eu iremos para o interior, finalmente, descansar."

Ouvimos isso vezes incontáveis, até que chegou o dia. Minha irmã do meio se casou, minha irmã caçula já morava sozinha, enfim, mais nenhum impecilho para os tão sonhados anos de descanso.

E a gente ouvindo: "Não, porque lá é muito melhor..." , "Uma vida muito mais sossegada..." e a gente:

_"Mãe, a senhora vai aguentar ficar lá naquela mini- cidade longe da gente?"

_"Mas é claro que vou, não tem lugar melhor nesse mundo e vocês já estão bem grandinhas...".

Primeiro mês: Normal. Tudo novidade.

Segundo mês: "Quando vocês vêm prá cá?"

Terceiro mês: "Tô morta de saudades, tô indo praí"

Quarto mês: "Vocês têm que mudar pra cá!!!"

Quase um ano depois: Ligações chorosas com voz embargada, que cortam o coração.

Não adianta, tudo que ela queria se realizou, filhas casadas, com filhos, felizes, bem instaladas, bem empregadas...Quer realização maior? Ver que fez um bom trabalho? Mesmo assim, parece que o descanso ainda não pairou por lá...

Na cabeça das mães, nós nunca estamos preparados pra ficar sem elas...e na verdade elas que não estão preparadas para deixar de exercer tão ativamente o papel de anos, cuidar da gente.

Afinal, quem disse que mãe foi feita pra ficar longe dos seus filhos? Agora ela tá lá, no lugar do tão sonhado descanso, mas o coração dela, sem descanso, querendo estar aqui.

5 comentários:

Re disse...

Mães... mães... todas iguais...
beijo
Re

Isa disse...

Re

E não são???...rsrs...a minha tem hora que se supera!
bjus

Emília disse...

Eu gosto mesmo é de estar por perto das minhas filhotas, se bem que elas estejam bem crescidinhas.A arte (difícil) está em não me meter demasiado na vida delas, mesmo que com boa intenção, mas estar por perto sempre que precisam.

Isa disse...

emilia

eu sei como é,fico chateada por ela ñ estar aqui e pior ainda, sabendo que ela está infeliz sem nós. É muito complicado.

bjus

somebody disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.