18 de fevereiro de 2010

História de amor

Foi mais ou menos assim que me contaram...ela tinha uns 25 pra 26 anos quando ele entrou na vida dela. Até hoje se pergunta por que naquele momento, mas parece que ainda não encontrou a resposta. Estava magoada, desacreditada do amor, tinha sofrido uma grande decepção, achava que nunca mais amaria ninguém e ele chegou de mansinho, foi mostrando todo seu encanto e de repente já era o seu melhor amigo.

Passavam os dias juntos, contando histórias, fazendo confissões, trocando idéias sobre livros, músicas e de repente ele a olhava de um jeito diferente. As amigas avisaram “ele está apaixonado por você” e ela achando que elas estavam loucas, eram apenas bons amigos.

Um dia, quando ela pensou que seu mundo caiu, que nada tinha mais sentido ele lhe abraçou tentando lhe confortar, dizem que foi um abraço apertado como se daquela forma ele conseguisse lhe arrancar todo o sofrimento, mas aquele definitivamente não foi um abraço de amigo e foi ali que tudo começou.

Ele percebeu que ela balançou e um dia roubou um beijo. Ela avisou que aquilo não ia dar certo, mas ele insistiu. Ele dizia: um dia quero me casar, ter família, ser pai e ela ria dele e dizia que nunca mais se casaria de novo.

Eles se divertiam com aquilo, achando que tinham encontrado a felicidade. Diziam um ao outro o quanto aquilo era importante e o quanto torciam pra que no final tudo desse certo.

Acontece que eles tinham medo, medo de se entregar, medo de amarem de verdade e quebrarem a cara e isso foi o grande problema. Ela dizia “Eu te amo”, ele sempre respondia com um “eu te adoro”. Ele nunca disse que a amava, apesar dela saber ele a amava imensamente.

Covardia? Não sei, não souberam em dizer do que eles tinham tanto medo.

Sei que, nessas idas e vindas ele a magoou uma porção de vezes, ela mandou ele embora outras tantas, mas logo, desesperada implorava pra ele voltar, pois percebia que não era nada sem ele. Ele voltava, porque também sabia que não podia ficar sem ela.

Mesmo assim, um dia ele se casou, não com ela. Ela sofreu, mas tocou a vida. Parece que era uma história dessas meio “Romeu e Julieta”, que nunca daria certo mesmo.

Certo é, que tudo que viveram foi importante pra eles e hoje, as lembranças que restaram são marcas que vão ficar pra sempre e valem como história de amor para uma vida toda.

8 comentários:

Nalva disse...

Olá Isa...
Sou a Nalva e navegando pelo blogger , descobri o seu e fiquei emocionado com esse post. Lindo e sensível! E lendo outros, vi que temos muitas coisas em comum...Tbém adoro sol e horário de verão...Já estou chorando o final deste verão e ansiosa pelo próximo. Quero te parabenizar e dizer que adorei o vou voltar mais vezes.
Visite o meu blog tbém. Espero que goste! Beijo.

http://www.asolidaoatequemecaibem.blogspot.com/

Nalva disse...

Olá Isa...
Sou a Nalva e navegando pelo blogger , descobri o seu e fiquei emocionado com esse post. Lindo e sensível! E lendo outros, vi que temos muitas coisas em comum...Tbém adoro sol e horário de verão...Já estou chorando o final deste verão e ansiosa pelo próximo. Quero te parabenizar e dizer que adorei o vou voltar mais vezes.
Visite o meu blog tbém. Espero que goste! Beijo.

http://www.asolidaoatequemecaibem.blogspot.com/

Jair Gabardo. disse...

No acaso encontrei. Por sinal me fez sorrir. Aproveitei e segui!

Seu texto me fez lembrar de uma frase que vi:

"Talvés o passado seja uma âncora nos prendendo.
Talvés precisamos abandonar a pessoa que fomos para nos
tornarmos as pessoas que seremos".

Precisamos nos desprender e buscar com ânimo o novo que constantemente nos ronda, basta agarrá-lo.

Lindo Blog!
Forte abraço,

Jair Gabardo.
www.paraquefiquem.blogspot.com

Isa disse...

Nalva
Bem-vinda e obrigada pela visita. Que bom que gostou.Com certeza, vou dar uma olhada no blog, pode deixar
bjão

Jair,
Obrigada!
Sempre digo isso a ela...rs
bjs

Só enquanto eu respirar... vou me lembrar disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Só enquanto eu respirar... vou me lembrar disse...

Oi Isa...
Sou a Marcia e seguindo a flexinha do proximo encontrei o seu, e adorei mesmo, ainda mais quando me deparei com esse texto...
Afinal eu me vi nele em vários momentos, Um bj

Só enquanto eu respirar... vou me lembrar disse...

Isa vendo agora mais detalhadamente seu blog, temos mais em comum, um certo clip rsrs
Bjs

Isa disse...

Só enquanto,(adorei o codinome..rs)
Obrigada! E bom se encontrar nas palavras de outros, eu pelo menos sinto que não estou sozinha.
Que bom que gostou,volte sempre.
bjão