13 de janeiro de 2009

Ferida

O que é uma droga de orgulho ferido?
Quando se trabalha num órgão público sabe-se que ser funcionário público tem lá suas vantagens, estabilidade é a maior delas.
O que se esquece é que quando rola a dança das cadeiras, ou seja, quando há eleição, tudo muda. No meu caso as mudanças vieram desde às prévias.
Não sou política, mas estive envolvida com isso por mais de 10 anos e apesar de não ser filiada a nenhum partido político , servi uma administração de um determinado partido durante esses mais de 10 anos.
Durante esse tempo, cresci muito profissionalmente, ajudei um departamento a ser o que ele é hoje, lutei por reformas e de repente, meu mundo desabou por causa de um desentendimento dentro do partido por causa de apoio para as prévias.
Tudo aquilo que representei naquele setor não siginificava mais nada, só porque trabalhava para o lado perdedor. Não interessou pra quem venceu a minha carreira, a minha capacidade, a minha eficiência e todo meu esforço. Fui descartada.
Eu não tinha nada a ver com aquilo!
Meu orgulho agora está ferido.
Pior que sei que orgulho não é nenhuma virtude.
Outra vantagem de ser servidora pública é a possibilidade de pegar licença não remunerada por até dois anos. Como não se interessavam mais pelos meus serviços, pedi um ano de licença. Não fiquei desempregada e tinha a possibilidade de voltar quando quisesse.
Pois é, dia 21, termina minha licença.
Tinha que ficar feliz, tenho pra onde voltar! No meio dessa crise, com um monte de gente perdendo seus empregos... Tinha que estar feliz!
Porém a droga do orgulho ferido me impede. Impede de voltar de cabeça erguida, mesmo que tenha sido injustiçada, mesmo que não tenha tido nada a ver com a derrota política sofrida, mesmo que saiba que tenho capacidade pra chegar ainda mais longe do que da primeira vez.
O meu orgulho me impede de querer voltar pro mesmo departamento.
Hoje mesmo passei o dia todo mandando currículum, procurei amigos, tenho contatos em uma série de escritórios de advocacia de São Paulo, mas as respostas não são nada animadoras. Maldita crise.
Pra ajudar vem também um peso na consciência por ter recusado uma vaga na AGU em 2007, não quis, o salário não valia a pena...burra.
Agora fico de hora em hora na frente do computador, checando e-mails, checando aquele site de vagas na internet...
Eu tenho um emprego! Por quê cargas d'água não estou feliz?
Droga de orgulho ferido!

5 comentários:

Zagaia disse...

Droga mesmo... Orgulho é bom mas tem hora! Não é hora pra isso.. levanta a cabeça e volta! POde até ser bom, e vai ser... Boa sorte! abs

Isa disse...

Ô meu lindo, obrigada!
Torce por mim, ok?
Que bom que apareceu, não sei se percebeu mas aqui é bem diferente do "Como se eu soubesse".Finalmente consegui dar a volta por cima e aquele cantinho tinha muito do que me fez sofrer. Então, se gostar daqui tb, volta sempre, tá?
bjs

Dani disse...

I want!!!

Eu juro que não é....

Isa disse...

Sister,

Eu tb...

bjs

somebody disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.